O agrobusiness do Brasil em números

0º
Líder mundial em produção de grãos de café
0º
Líder mundial em produção de grãos de soja
0º
Líder mundial em produção de laranja, com 75% do mercado global
0º
Segundo produtor mundial de carne bovina
0
Milhões de toneladas de grãos previstas até 2025
0%
Participação do algodão brasileiro até 2026
0
Milhões de toneladas de importações de trigo no Brasil até 2025
0
Países consumidores do açúcar produzido no Brasil

Grãos

As estimativas de produção de grãos desse ano são de 196,5 milhões de toneladas e a área plantada de 58,2 milhões de hectares. A CONAB divulgou sua décima estimativa para a produção de grãos, para a safra 2018/19, prevendo um crescimento de 5,7% sobre a safra anterior. A área plantada foi projetada em 62,9 milhões de hectares.

As projeções para 2025/26 são de uma safra de grãos por volta de 255,3 milhões de toneladas, e corresponde a um acréscimo de 29,9% sobre a atual safra que está estimada em 196,5 milhões de toneladas. Esse acréscimo corresponde a uma taxa anual de crescimento de 2,5% ao ano. No limite superior a projeção indica uma produção de até 301,3.

Fonte: https://www.fiesp.com.br/indices-pesquisas-e-publicacoes/safra-de-graos-brasil/attachment/file-20190712125445-safra-graos-brasil-2018-1910-levantamento/

Algodão

A produção de algodão concentra-se especialmente nos estados de Mato Grosso, Bahia e Rio Grande do Sul. A safra de algodão em 2019 será 13,0% maior do que em 2018, com 5,6 milhões de toneladas, informou nesta terça-feira, 12, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A produção estimada na Bahia alcançou 1,3 milhão toneladas, correspondendo a 22,7% da safra a ser colhida pelo País este ano. Em Mato Grosso a estimativa é que o Estado do Centro-Oeste colha 3,7 milhões de toneladas de algodão este ano, representando 67,2% de toda a produção nacional (IBGE – 2019).

Fonte: https://revistagloborural.globo.com/Noticias/Agricultura/Algodao/noticia/2019/03/globo-rural-safra-de-algodao-em-2019-sera-recorde-130-maior-do-que-em-2018-diz-ibge.html

Trigo

A produção de trigo no país concentra-se na região Sul, sendo o Paraná e Rio Grande do Sul os principais produtores.

No Paraná, maior produtor brasileiro (59,8% do total), a produção deve atingir 3,3 milhões de toneladas. Segundo o IBGE, a produção (12,8%) e o rendimento médio (19,1%) aumentaram em relação a março/2019.

Para o Rio Grande do Sul, segundo maior produtor brasileiro de trigo (25,9% da produção), foi estimada uma produção de 1,4 milhão de toneladas.

A produção brasileira de trigo deve atingir 5,5 milhões de toneladas em 2019, O resultado corresponde a um crescimento de 7,1% em comparação com a previsão anterior, de março, e a aumento de 3,9% quando comparado com 2018.

Fonte: https://revistagloborural.globo.com/Noticias/Agricultura/Trigo/noticia/2019/05/producao-de-trigo-em-2019-deve-crescer-39-diz-ibge.html

Soja

A Conab estimou uma safra de grãos de 237,290 milhões de toneladas no ciclo 2018/2019. O número é 4,2% maior que a colheita do que a da temporada 2017/2018, estimada em 227,751 milhões de toneladas.

Em Mato Grosso, principal estado produtor do grão no Brasil, a Companhia avalia que a maior parte das lavouras está em excelentes condições, com expectativa de boa produtividade. E Deve contribuir para a manutenção do patamar de produção de 32 milhões de toneladas, visto na safra anterior.

A projeção de soja em grão para 2025/26 é de 129,2 milhões de toneladas.

Fonte: https://revistagloborural.globo.com/Noticias/Agricultura/noticia/2019/01/conab-estima-safra-20182019-em-2372-milhoes-de-toneladas-de-graos.html

Café

O Brasil deverá produzir 53,9 milhões de sacas de 60 kg de café em 2019. A produção do café arábica foi estimada pelo IBGE em 38,7 milhões de sacas de 60 kg, aumento de 1,3% em relação ao mês anterior.

A produção mineira deve alcançar 27,3 milhões de sacas, com Minas Gerais registrando participação de 70,6% do total a ser produzido, segundo o IBGE.

São Paulo é o segundo produtor de arábica do país elevou sua estimativa de produção em 9,5%, participando com 12,8% do total a ser colhido.

Em relação a 2018, será 1,6% maior, com a produção do Espírito Santo prevista em 10,1 milhões de sacas de 60 kg – o Estado é responsável por 66,4% da produção nacional dessa variedade.

As projeções mostram que a produção em 2025/26 deve situar-se entre 65 e 85 milhões de sacas. Essa produção deve ser obtida a uma taxa de crescimento anual de 2,7%.

https://g1.globo.com/economia/agronegocios/noticia/2019/04/11/ibge-sobe-previsao-de-safra-de-cafe-do-brasil-em-2019-a-539-milhoes-de-sacas.ghtml

Açúcar

O Brasil deve produzir 31,7 milhões de toneladas de açúcar na atual safra 2018/19, O total estimado, 29,1 milhões de toneladas de açúcar serão fabricadas no centro-sul, principal polo canavieiro do país, enquanto os outros 2,6 milhões no Norte/Nordeste, segundo a CONAB.

O Brasil teve como principais destinos de suas exportações em 2015 do setor sucro-alcooleiro, a China, Bangladesh, Argélia, Nigéria e, Rússia. Porém o destino das exportações brasileiras é bastante amplo e abrange mais de 100 países (Mapa, 2019).

https://g1.globo.com/economia/agronegocios/noticia/2018/12/20/conab-reduz-estimativa-de-producao-de-acucar-do-brasil-para-317-milhoes-de-toneladas.ghtml

Laranja e Suco de Laranja

A primeira Pesquisa de Estimativa de Safra (PES) de laranja 2019/2020 no parque comercial citrícola de São Paulo e Minas Gerais, apontou uma produção de 388,89 milhões de caixas (de 40,8 quilos). O volume é 36% maior do que os 285,98 milhões de caixas da safra 2019/2020. É maior safra desde 2017/2018, de 398,35 milhões de caixas.

O Brasil, maior exportador global de suco de laranja, embarcou 870.311 toneladas do produto (congelado e concentrado equivalente) no acumulado da temporada, A safra da laranja 2019/20 do cinturão citrícola de São Paulo e Triângulo/Sudoeste Mineiro deve ser de 388,89 milhões de caixas de 40,8 kg, aumento de 36% ante a temporada anterior, de acordo com estimativa do Fundecitrus para o ciclo, divulgada em maio.

Há uma projeção de 4 anos para a instalação de uma nova fábrica da Cargill em Bebedouro/SP para ampliar a produção de suco de laranja na região.

Fontes:

https://revistagloborural.globo.com/Noticias/Agricultura/Laranja/noticia/2019/05/safra-201920-de-laranja-deve-crescer-36-em-sao-paulo-e-minas.html

https://g1.globo.com/economia/agronegocios/noticia/2019/06/24/exportacao-de-suco-de-laranja-do-brasil-cai-17percent-no-acumulado-ate-maio.ghtml

Carnes

Os produtores brasileiros registraram um abate de 7,77 milhões de cabeças de bovinos no primeiro trimestre de 2019, um aumento de 0,3% em relação a igual período de 2018. Já no caso de suínos, foram abatidas 11,27 milhões de cabeças, alta de 5,2% ante igual período de 2018 e um avanço de 0,7% ante o quarto trimestre de 2018.

Fonte: https://revistagloborural.globo.com/Noticias/Criacao/Boi/noticia/2019/05/abate-de-bovinos-cresceu-03-no-1-trimestre-de-2018-diz-ibge.html

As exportações brasileiras de carne bovina em maio deste ano totalizaram 149.960 toneladas, alta de 9,3% em comparação com abril de 2019, no acumulado de janeiro a maio, o Brasil exportou 692.829 toneladas, 16,7% a mais do que no mesmo período de 2018. A receita subiu 7,7% maior no mesmo intervalo, chegando a US$ 2,60 bilhões.

Fonte: https://revistagloborural.globo.com/Noticias/Criacao/Boi/noticia/2019/06/globo-rural-exportacao-de-carne-bovina-em-maio-sobe-93-ante-abril-diz-abiec.html

Derivados de Leite

A China abriu o mercado à compra de derivados de leite, como leite em pó, queijo e iogurte do Brasil e até leite condensado a China habilitou 24 estabelecimentos para exportação de produtos. A certificação estava acordada com o governo chinês desde 2007, mas não havia unidade brasileira habilitada a exportar ainda.

A associação que representa o setor, espera vender ao país asiático, o maior mercado do mundo para produtos lácteos, pelo menos US$ 4,5 milhões até o fim de 2020. Se concretizada, seria uma expansão de pouco menos de 10% das exportações do setor, que somaram US$ 58 milhões no ano passado.

Fonte: https://oglobo.globo.com/economia/china-abre-mercado-de-lacteos-para-brasil-ate-leite-condensado-sera-vendido-ao-pais-23826275

Suínos

A China exporta 44% mas carnes suínas do Brasil, em abril, houve um aumento de 44,3% no volume de vendas de suínos em relação ao mesmo período do ano passado, segundo a ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal).

No acumulado do ano, de janeiro a abril, o faturamento chegou a US$ 418,1 milhões, um resultado 2,2% superior ao obtido no mesmo período de 2018.

Foram embarcadas 58,1 mil toneladas. A maior parte (27,7%) seguiu para a China e Hong Kong (24,1%).

Fonte: https://revistagloborural.globo.com/Noticias/Criacao/Suinos/noticia/2019/05/peste-na-china-faz-brasil-exportar-44-mais-carne-suina.html

Madeira

O principal item na pauta de exportação brasileira de produtos de madeira, o compensado de pinus, aumentou 19% em relação ao volume embarcado em 2016. A média mensal dos embarques foi de 171.681 m³, o que significa um volume extra de aproximadamente 27 mil m³ por mês exportado pelo Brasil, quando comparado ao ano anterior.

Um dos segmentos que procurou apostar em uma abordagem comercial focada em ampliar a carteira de clientes e colocar no mercado produtos com maior valor agregado foi o de madeira serrada de pinus. Com aproximadamente 60 países de destino do produto, o aumento de 16% nas vendas internacionais em 2017 em relação ao ano anterior reflete o trabalho realizado pelas empresas. Os principais destinos foram os Estados Unidos com 34%, seguido de México, 21% e China, 14%.

Fonte: http://www.abimci.com.br/exportacoes-de-madeira-crescem-apesar-da-reducao-no-faturamento/

Cachaça

As exportações de cachaças em 2017 resultaram num faturamento de 15.808.210 (US$), com aumento 11,34% em comparação ao ano de 2016. As informações são do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), publicado no Agrostat- Estatísticas de Comércio Exterior do Agronegócio Brasileiro.

Estados Unidos foi o maior comprador em 2017 com 2.795.977 (US$), seguido pela Alemanha com 2.757.328 US$, que nos últimos anos era a primeira colocada.

O Estado de São Paulo atingiu 50,41% das exportações de cachaça no ano que passou. Aumentou sua participação em 36,49% comparados ao ano de 2016.

Os cinco maiores exportadores (São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco, Paraná e Ceará) somam 14.109.700 (US$) e representam 89,26% das exportações brasileira de cachaça.

Minas Gerais que estava na segunda colocação das exportações em 2016, com o valor de 1.901.720 US$, passou para a sexta colocação com o montante de 865.073 US$, em 2017.

Fonte: http://www.sitedacachaca.com.br/exportacao-de-cachaca-em-2017/

Castanha

Os estados que compõem o norte Parte do Brasil (Acre, Amazonas e Pará) São os maiores produtores na país em confronto da distribuição e produção Rondônia, Tocantins e Roraima têm a produção em crescido As colheitas começam em novembro e vai até maio.

  • Volume de produção / ano: 35 mil toneladas
  • Países que fornecem: EUA, China, Alemanha, Itália, Reino Unido
  • Volume de exportação / ano: 11,119 mil toneladas
  • Volume de exportação Brasil – China no ano passado: 4.919 mil toneladas
  • China importada do Brasil: 17,68%

Açaí

Devido ao número de pesquisas deste produto no Brasil em 2010, por ser um produto energético e vitamínico, pessoas de outras partes do mundo, como Portugal, Espanha, e os Estados Unidos se apaixonam por ele. O Para 2030, para a secretária regulamentar, a ideia de exportação está crescendo 13% até ano. Atualmente, o número de produção é: 10% para uso do condado, 30% para o restante do Brasil e 60% para exportação.

O subproduto mais exportado do açaí é o mix de açaí com banana e guaraná e representa 3% de todos as vendas.

A ideia até 2030 é ter uma produção de 1,5 toneladas por ano.